terça-feira, 27 de Outubro de 2020

 
Reta
Carga & Mercadorias
15-04-2020
COVID-19
Medway destaca “segurança” do transporte ferroviário em tempos de pandemia
O presidente da Medway, Carlos Vasconcelos, adiantou à agência Lusa que neste momento a empresa ainda não sofreu perdas significativas devido à pandemia do novo coronavírus. "Em março tivemos, por causa da COVID-19, um total de 8% de quebra em número de comboios", adiantou, explicando que, em alturas em que este impacto não se verificou, há muitas outras causas que levam à supressão de comboios e, por isso, este valor não é, para já, significativo.

Carlos Vasconcelos defendeu ainda que o transporte ferroviário pode inclusive vir a crescer nesta fase porque é um meio de transporte mais seguro e com enorme capacidade. “Pode haver um crescimento da relevância do grupo ao nível das cargas transfronteiriças, uma vez que um comboio pode levar cargas equivalentes a 40 camiões e em vez de irem 40 motoristas vai uma equipa de duas pessoas". Para Carlos Vasconcelos, isso mostra a “segurança do transporte de mercadorias ferroviário, sobretudo para Espanha”.

"Não têm contactos com ninguém, porque não param em bombas de gasolina, não comem fora do comboio. É um meio, em termos sanitários, muito mais seguro para o [transporte] transfronteiriço", adiantou.

De referir ainda que na fronteira com Espanha, a tripulação portuguesa sai e entra uma equipa espanhola. Uma troca que é feita sem haver contacto.
Carlos Vasconcelos assegura que está a ser levado a cabo um processo de desinfeção quer em Portugal, quer em Espanha, "que tem uma taxa de 99% de segurança" nas locomotivas.

O presidente da Medway assegura que nos comboios transfronteiriços a empresa ainda não registou qualquer "impacto negativo", mas também não se verificou "nenhum crescimento", o que existe é uma procura com questões sobre o serviço e as suas condições.

O grupo faz neste momento 50 comboios por dia (100 viagens, de ida e volta) e transporta entre 700 e 800 toneladas.
A Medway afiança que, em caso de necessidade, tem capacidade para fazer mais cerca de quatro comboios diários, num total de três mil toneladas de capacidade, em média, mas que podem chegar às seis mil, caso a capacidade máxima nas duas viagens de cada um fosse atingida.
Carlos Vasconcelos deu ainda conta do plano implementado na empresa para proteger os cerca de 800 colaboradores face à pandemia da COVID-19, incluindo na manutenção.

"A oficina está a trabalhar em pleno, com os cuidados, proteções, gel desinfetantes, máscaras, luvas", indicou.
Os colaboradores que podem estão em teletrabalho ou em casa e a empresa assegura um subsídio diário para os que têm que se deslocar o fazerem de carro e não de transportes.
Os horários e as escalas também estão ser feitos para que os trabalhadores consigam sempre ir dormir a casa e sejam mais ou menos fixas, para reduzir o contacto entre as tripulações.

Neste momento, a empresa não despediu nem entrou em layoff, mas Carlos Vasconcelos não colocou estas hipóteses de parte, caso a quebra na atividade comece a aumentar nos próximos meses.
O grupo registou, em 2019, uma faturação de 68 milhões de euros, de acordo com o presidente.
por: Sara Pelicano
Tags: Covid19   MEDWAY  
1504 pessoas leram este artigo
511 pessoas imprimiram este artigo
0 pessoas enviaram este artigo a um amigo
0 pessoas comentaram este artigo
Comentários
Não existem comentários
  
Deixe o seu comentário!

 


 

  

 
 
 
 
 
 












RSS TR Twitter Facebook TR Transportes em revista

Dicas & Pistas © 2009, Todos os Direitos Reservados

Condições de Utilização | Declaração de Privacidade
desenvolvido por GISMÉDIA